O Preço da Inovação Tecnológica – Parte II / II

Inovação

No meu primeiro texto sobre o Preço da Inovação Tecnológica, expliquei como muitas empresas, setores e até verticais não entendem a verdadeira necessidade de definir uma estratégia de inovação. Alguns imersos em setores perenes onde até a margem de lucro segue um padrão entre a concorrência, se veem na posição de simplesmente guardar seus postos sentados no trono dos detentores de mercados e clientes importantes. 

Nesta continuação, endosso que testar outras formas de fazer a mesma coisa que fazíamos antes é o cerne da inovação, e que hoje ao custo de algumas horas de computação em nuvem, podemos experimentar, “crescendo” e “diminuindo” nossa estrutura de acordo com as necessidades do negócio ou futuro negócio. As possibilidades são enormes.

A tecnologia democratizou a inovação

Contudo obviamente atitudes isoladas não tornam por si só a empresa inovadora. Mas fica claro que na era digital empresas precisam mudar seu mindset, se quiserem surfar neste oceano digital.

Pensando diferente

Ainda me deparo com paradigmas que ofuscam por exemplo a percepção de valor da área de tecnologia da empresa, e ao mesmo tempo me pergunto: Não seria especificamente a TI uma das maiores ou a maior responsável por fomentar a inovação em uma empresa?

Observar a área ou o departamento de tecnologia como um time que trabalha apenas para manter a operação (ou as luzes do datacenter acesas) já é uma visão ultrapassada.

Muitos gestores ainda têm receio de aproximar tanto assim a TI de decisões estratégicas, na prática se preocupam de como ficaria seu dia a dia sem esses importantes soldados no front. Um problema não? Mas tenho uma solução!

Serviços Gerenciados: O reforço que sua TI Precisa!

Minha sugestão é que se cogite a contratação de empresas especializadas que detenham conhecimento para manter sua operação, com o diferencial de estarem centradas em inovação e entrega de valor.

Através de ferramentas, metodologias e técnicas sua TI terá mais tempo para inovar, e estes parceiros trabalhando em união com seu time lhe apresentarão a um novo mundo onde você terá dentre outras coisas:

  •   Serviços gerenciados de Qualidade;
  •   Gestão proativa do ambiente computacional;
  •   Auto-Serviços e Empoderamento de usuários;
  •   Experimentações e infraestrutura elástica em Cloud;
  •   Maior Segurança, Disponibilidade e Proteção dos dados;
  •   Implantação de ambientes DEV/TEST e pipeline DEVOPS;

Conclusão

Manter as luzes acesas é essencial, e pagar o preço da inovação sai caro, ainda mais se o preço a ser pago for o da inovação do outro. Frente a este cenário, que tal começar a jornada, nem que seja à um passo por vez,  rumo a TI Moderna?

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp
Email
MARCIO DEARO

MARCIO DEARO

Responsável pela arquitetura de soluções e pela gestão dos serviços providos pela Wtsnet, com 35 anos, tem passagem por empresas como Microsoft, Dell, Brasoftware e Consultorias de Tecnologia e Segurança, tendo gerido e implementado projetos em grandes empresas. Detém certificações técnicas e gerenciais, e atualmente trabalha no design de soluções na área de Cloud, Devops e Segurança, utilizando metodologia Ágil. Também entusiasta de Astronomia, Filosofia e Artes, desenvolve cada uma dessas áreas como seus hobbies.