O Preço da Inovação Tecnológica Parte I / II

Inovação

Muitas empresas, setores e até verticais não entendem a verdadeira necessidade de definir uma estratégia de inovação. Alguns imersos em setores perenes onde até a margem de lucro segue um padrão entre a concorrência, se veem na posição de simplesmente guardar seus postos sentados no trono dos detentores de mercados e clientes importantes.

No extremo oposto pequenas e médias empresas, acabam por diferentes motivos tendo o mesmo resultando. Volta e meia nos deparamos com comportamentos sectários e conservadores. Onde em tese poderia surgir forças para criar, vemos surgir forças de conservação para seguir o que os detentores daquele mercado ditam. 

De certo modo durante toda a história da humanidade a capacidade de criar esteve restrita às mãos de grupos detentores dos meios de produção e da informação, restando aos menores apenas… Seguir!

Espelhos do telescópio espacial James Webb - Não é necessário ser a Nasa para Inovar

“Non Ducor Duco” – A hora de criar

Pois é, acontece que de uns tempos para cá as coisas mudaram, em oposição ao que acontecia na idade média, onde apenas alguns detinham informação e controlavam quem não a tinha, hoje há mais possibilidades, pois, a informação está acessível ao click de um mouse ou ao toque de um dedo. 

Estudos feitos pela Cisco lá em 2015 projetaram que devido a transformação digital 40% das empresas deixariam de existir até o ano de 2020, embora se tratasse de uma projeção, passaram-se mais de 2 anos e já ví casos de óbito corporativo.

Ah, mas há setores que não precisam inovar?

Concordo, mas cada dia são mais escassos. Fazendo uma análise simplista, não é possível imaginar por exemplo o setor do agronegócio sem máquinas, indústrias sem controles computacionais e sensores em sua produção ou mesmo o varejo, sem trabalhar para aumentar sua margem, automatizando cada vez mais funções antes feitas por humanos.

Focar em resolver problemas da sociedade ou de algum nicho, começou a ser o objetivo não só de startups, mas também de empresas consolidadas. Que agora com uso de tecnologia e agilidade exploram brechas para entrar e inovar em mercados antes pouco flexíveis.

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Marcio Dearo

Marcio Dearo

Responsável pela arquitetura de soluções e pela gestão dos serviços providos pela Wtsnet, com 35 anos, tem passagem por empresas como Microsoft, Dell, Brasoftware e Consultorias de Tecnologia e Segurança, tendo gerido e implementado projetos em grandes empresas. Detém certificações técnicas e gerenciais, e atualmente trabalha no design de soluções na área de Cloud, Devops e Segurança, utilizando metodologia Ágil. Também entusiasta de Astronomia, Filosofia e Artes, desenvolve cada uma dessas áreas como seus hobbies.

Copyright © 2019 – Wtsnet Empowering with Technology