LGPD: Saiba o que é e prepare você e sua empresa para mudanças

LGPD empresas

A Lei Geral de Proteção de Dados do Brasil, mais conhecida por LGPD, foi sancionada em agosto de 2018, mas entrará em vigor apenas em agosto de 2020. A nova regulamentação tem como objetivo estabelecer regras sobre coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais, e visa trazer mais proteção aos usuários e penalidades para o não cumprimento, com multas que podem chegar a R$ 50 milhões por infração.
Tratada por muitos como a “GDPR brasileira”, a LGPD vai afetar diversas empresas brasileiras que recolhem dados de usuários, online e offline, desta forma, o Brasil entra na lista dos países que criaram uma lei específica para a proteção de dados pessoais com o objetivo de trazer mais transparência e segurança para alcançar um novo patamar em transações digitais.

O que a LGPD regulamenta?

A LGPD surge com o objetivo de garantir uma maior privacidade das informações colhidas e exigirá uma nova postura das empresas em relação ao grande volume de dados que atualmente são obtidos e expostos sem um efetivo controle. 

Empresas públicas e privadas precisarão do consentimento dos clientes para a coleta e utilização dos dados pessoais, sempre informando qual é sua finalidade, além de ter que oferecer a possibilidade dos usuários, visualizarem, retificarem e até excluírem os registros a qualquer momento. Em caso de vazamento, perda de dados ou mudanças em relação à utilização destas informações, os titulares devem ser avisados imediatamente. 

Com a implementação da LGPD, as companhias serão obrigadas a ter um responsável com total conhecimento da lei para orientar os demais funcionários, e controlar a utilização destes dados, fazendo a mediação entre as partes envolvidas no processo, ou seja, titular, controlador e autoridade nacional. 

Em suma, a LGPD tem como objetivo resguardar o direito à privacidade do usuário e garantir maiores direitos ao consumidor. Definir regras claras para as empresas que colhem e utilizam dados pessoais, fomentando assim o desenvolvimento econômico e tecnológico com plena segurança jurídica. 

A lei terá aplicação extraterritorial e em todos os setores da economia, ou seja, qualquer companhia que tiver negócios no Brasil terá que se adequar a ela até a data limite em fevereiro de 2020.

LGPD

Semelhanças e diferenças entre a GDPR e a LGPD

A GDPR (Regulamento Geral de Proteção de Dados) entrou em vigor em 2018 em toda a União Europeia, no entanto o projeto foi apresentado em 2012 e sancionado apenas em 2016, tendo assim como a LGPD, um prazo de adaptação para as empresas. 

Ambas as leis se assemelham no fato de colocar o titular dos dados como protagonista, obrigando as empresas a ter seu consentimento para a captação e utilização dos mesmos. 

No entanto, existem algumas diferenças, a primeira delas é que a LGPD é uma lei nacional, enquanto a GDPR é uma lei que envolve todos os países do bloco europeu, além disso, a lei brasileira possui um único órgão regulador, a lei europeia permite que cada país tenha sua própria agência.

A GDPR também é bastante específica em relação às obrigatoriedades e multas para cada uma das infrações. A LGPD não discrimina multas específicas e tem sansões mais genéricas, tendo como penalização principal, 2% do faturamento da empresa, limitando a R$ 50 milhões.

A LGPD e provedores de serviços gerenciados (MSPs)

A LGPD pode ser uma boa oportunidade para que MSPs, como nós, possamos entregar serviços, de assessment, já que as empresas precisarão de cuidados em seus sistemas para armazenar e tratar os dados coletados. 

Vazamentos e extravios de dados serão punidos com multas pesadas, logo a proteção e prevenção contra ciberataques e a recuperação destes dados serão cada vez mais essenciais, logo, provedores de serviços gerenciados que dominarem a lei, podem usar isso como um diferencial competitivo no mercado. 

Empresas de TI que estejam inseridas em práticas de marketing digital e utilizem estratégias de Inbound Marketing, por exemplo, devem ficar atentas e se adequarem aos requisitos da nova lei.

Adeque sua empresa o mais rápido possível

A LGPD é um grande avanço em relação à segurança de informação e coloca o Brasil em linha com práticas que estão sendo utilizadas internacionalmente, garantindo mais transparência na coleta de dados e maior proteção e garantia de privacidade aos cidadãos.

No entanto, não se engane achando que há tempo de sobra até fevereiro de 2020, as empresas precisam compreender a lei e se adequarem às mudanças que se farão necessárias o mais rápido possível.

Nós, provedores de serviços gerenciados, devemos não só compreender as mudanças, mas também saber utilizá-las a nosso favor para poder não só auxiliar nossos atuais clientes, como também fomentar a evolução tecnológica e uma internet mais segura, que garanta nossa privacidade e nossos direitos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
JOÃO GABRIEL DEARO

JOÃO GABRIEL DEARO

Empresário, fundador da Wtsnet, graduado em eletrônica digital pela Universidade Mackenzie, iniciou como consultor de tecnologia há mais de 30 anos, tendo vivido e colaborado com a digitalização de pequenas e médias empresas durante todo esse período. Sua história aconteceu justamente com a chegada e consolidação no Brasil de empresas como Itautec, Microsoft, HP e Cisco, às quais sempre trabalhou em parceria. Atualmente administra a empresa e fomenta a adoção de tecnologias de Segurança, Cloud e serviços gerenciados em clientes. Entusiasta e geek assumido é fã de novas tecnologias.