Top 5 medidas de segurança cibernética para sua empresa em 2020

Cibersegurança em 2020

Quando se trata de segurança cibernética, é fundamental estar sempre um passo à frente das ameaças, e não apenas reagir a elas. Neste cenário onde cibercriminosos estão constante evolução, não basta ser reativo, é preciso estar preparado não só para as ameaças de ontem, mas para o que vem por aí.

O ano de 2020 está chegando, e com ele surgem novos desafios, e com a entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados, que está programada para agosto, mais do que nunca estar à frente do que está por vir é mais do que recomendado.

O Ransomware é uma das ameaças que promete continuar tirando o sono de muitas corporações no próximo ano, isso porque os últimos ataques têm conseguido penetrar até nas soluções de segurança de email mais sofisticadas.

Os riscos relacionados ao phishing são outros fatores de preocupação que devem cada vez mais ter atenção dos profissionais de segurança, já que os números são cada vez mais crescentes. A prática é uma das principais causas de violações de dados, fraudes financeiras e ataques que podem trazer consequências terríveis para as organizações, principalmente por conta das pesadas multas que serão impostas pela LGPD.

Neste artigo, vamos abordar cinco medidas de segurança que devem ser utilizadas pelas empresas como prevenção e combate ao crime cibernético.

1- Tenha uma proteção avançada de Endpoint

Monitorar e proteger toda a infraestrutura de rede de uma empresa é imprescindível em uma estratégia de segurança cibernética. A proteção avançada de endpoint tem como objetivo identificar problemas nos dispositivos finais, os “endpoints”, como laptops, PCs, tablets e smartphones, conseguindo prevenir que vulnerabilidades nestes aparelhos sejam utilizadas para invasões ou roubos de dados.

Com a ampla variedade de ameaças que evoluem a cada dia, é necessário que as companhias optem por proteções que sejam reconhecidas no mercado e sejam aprimoradas frequentemente. Atualmente existem diversas soluções no mercado, no entanto, algumas delas trazem diferenciais que são cruciais no combate às ameaças cibernéticas.

Uma delas é a tecnologia de Deep Learning, sistema de inteligência artificial que consegue detectar softwares maliciosos tantos os mais conhecidos, como o Ransomware, como os desconhecidos, sem depender de assinaturas para bloquear ação de vírus.

Outro diferencial está na tecnologia Endpoint Detection and Response (EDR), que é uma poderosíssima funcionalidade que complementa a segurança de endpoints com recursos aprimorados de detecção, investigação e resposta. Com o EDR, é feito um monitoramento contínuo dos endpoints e servidores e através de Machine Learning é possível detectar e responder a essas potenciais ameaças, antes que algum estrago seja feito.

Endpoint security

2- Certifique-se que utiliza um Firewall de Próxima Geração (NGFW)

O Firewall de Próxima Geração, também conhecido como Next Generation, ou NGFW, traz níveis muito mais avançados do que as versões anteriores, que já se tornaram ultrapassadas frente aos ciberataques cada vez mais sofisticados.

Com o NGFW, o processo da tomada de decisão sobre o que entra ou o que sai da rede é melhor definido, isso é cada vez mais importante, devido à prática de BYOD (Bring Your Own Device) ser cada vez mais comum nas empresas, deixando as redes muito mais expostas do que em um ambiente que utiliza apenas dispositivos específicos para o ambiente empresarial.

Nesta mesma linha, o Next Generation Firewall é imprescindível no combate às práticas de Shadow IT, hardwares ou softwares que são usados sem o conhecimento do departamento de TI, e que são cada vez mais comuns em ambientes corporativos, criando vulnerabilidades que podem ser utilizadas para ataques.

Um ponto importante na escolha de um firewall é a integração do mesmo com a solução para endpoints. Esta sincronia simplifica e unifica as defesas com compartilhamento de inteligência em tempo real entre ambos, garantindo assim uma melhor proteção contra ameaças avançadas e exigindo menos tempo da equipe de TI na reação aos incidentes.

Next Firewall Generation

3- Utilize proteção a aplicações web (WAF)

Hoje em dia é bastante comum que empresas utilizem meios digitais para fazer negócios e interagirem com clientes por meio de apps ou aplicações web, com isso é também cada vez mais necessário que sejam tomados cuidados com invasões de hackers através de falhas que são encontradas nos códigos fontes ou em versões desatualizadas de plataformas CMS. No entanto, existem soluções que detectam – em tempo real – e impedem ataques que tentam acessar e roubar dados e informações sigilosas.

O Web Application Firewall, também conhecido como WAF, é uma dessas soluções, e tem esse objetivo, inspecionar de forma contínua todo o tráfego de entrada em busca de ameaças e atividades maliciosas, protegendo de ataques DDoS e filtrando e monitorando o tráfego HTTP entre a aplicação e a internet.

A implementação do WAF é simples e pode ser ativada em sites de qualquer tamanho ou Web Application, com opções em nuvem ou “on premisses”.

WAF Web Application Firewall

4 – Cloud Access Security Broker é essencial para segurança na Nuvem

A transformação digital fez com que a nuvem se tornasse parte essencial na estratégia das empresas, já que comprovadamente reduz gastos com ganho operacional. Desta forma, os serviços em “cloud” democratizaram o acesso à tecnologia de ponta para as pequenas empresas que hoje podem se equiparar às grandes corporações, criando assim novos modelos de negócio e conseguindo conquistar novos clientes.

Soluções como o Microsoft Azure oferecem facilidade na adoção da nuvem e integração com a infraestrutura legada dos clientes, facilitando a criação de novas oportunidades no mercado para empresas de diferentes tamanhos, através de aplicações em SaaS, IaaS ou PaaS.

Um ponto importante e que muitos tem dúvida, é em relação à segurança do ambiente em empresas que optam pela nuvem, neste caso, o Cloud Acess Security Broker, mais conhecido como CASB, é responsável por fazer essa proteção.

O CASB é uma ferramenta ou serviço de software em nuvem ou local que é posicionado entre a infraestrutura local de uma organização e a infraestrutura de um provedor de nuvem, permitindo que a empresa estenda o alcance de suas políticas de segurança para além de sua infraestrutura local.

Desta forma, podemos afirmar que o Cloud Access Security Broker possibilita o controle total do acesso no perímetro estendido, tornando possível o gerenciamento de forma integrada e consolidada, economizando esforços do time de segurança que pode entregar um tempo de resposta muito mais rápido em eventuais incidentes.

casb

5 – Avalie a contratação de Serviços Gerenciados de Segurança

Com a evolução tecnológica as necessidades de treinamentos e certificações são constantes, logo, acaba se tornando altamente custoso para as empresas, manter uma equipe de TI capacitada para cuidar do seu ambiente, principalmente se o segmento do negócio não for o de tecnologia.

Com uma demanda cada vez maior no que diz respeito a manter a segurança e a conformidade, se torna cada vez mais interessante ter uma equipe terceirizada de Serviços Gerenciados para cuidar da TI, para que riscos sejam minimizados e os padrões de segurança recomendados sejam garantidos.

O MSP’s (Managed Services Providers) monitoram de forma proativa o ambiente de TI e proporcionam diversas vantagens, como o controle de custos do setor, aumento na eficiência e rapidez na implementação de novas tecnologias, elevando assim o nível competitivo.

Serviços gerenciados em TI

Desafios na cibersegurança em 2020

Com toda certeza, 2020 será um ano com diversos desafios à frente, já que os cibercriminosos estão constantemente inovando e buscando maneiras de contornar as técnicas de seguranças praticadas.

Seguir as práticas descritas neste artigo é um grande passo para evitar que sua corporação seja uma presa fácil e enfrente problemas seja em relação à proteção de dados, seja em relação às leis de conformidade que estão (ou entrarão) em vigor no Brasil e no mundo.

Mas vale salientar que a cada ano que passa, o mundo se torna mais conectado, e o que funcionou ontem pode não ser o suficiente para o amanhã. Desta forma, o papel do profissional de segurança cibernética se torna cada vez mais essencial para que as empresas e a sociedade como um todo se mantenham cada vez mais protegidas.

A Wtsnet oferece soluções em TI, serviços gerenciados e segurança e proteção em nuvem para sua empresa fazer a diferença em sua jornada tecnológica. Entre em contato e saiba mais sobre nossos serviços!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
João Gabriel Dearo

João Gabriel Dearo

Empresário, fundador da Wtsnet, graduado em eletrônica digital pela Universidade Mackenzie, iniciou como consultor de tecnologia há mais de 30 anos, tendo vivido e colaborado com a digitalização de pequenas e médias empresas durante todo esse período. Sua história aconteceu justamente com a chegada e consolidação no Brasil de empresas como Itautec, Microsoft, HP e Cisco, às quais sempre trabalhou em parceria. Atualmente administra a empresa e fomenta a adoção de tecnologias de Segurança, Cloud e serviços gerenciados em clientes. Entusiasta e geek assumido é fã de novas tecnologias.